sexta-feira, 22 de agosto de 2014

ITABERABA RECEBE PRIMEIRO ZONAL DOS JOGOS ABERTOS DO INTERIOR DA BAHIA 2014


 



A maior competição de esporte amador da Bahia, Jogos Abertos do Interior (JAI), terá início nesta sexta-feira (22/08), na cidade de Itaberaba, a 264 km de Salvador. Realizada pelo Governo do Estado, por meio da Superintendência dos Desportos do Estado da Bahia (Sudesb), a competição irá reunir mais de 80 cidades baianas e cerca de 2500 atletas.

Os jogos de abertura acontecem na sexta-feira, a partir de 16h, no ginásio Rafael Souza de Oliveira, em Itaberaba. Os primeiros confrontos serão na modalidade de handebol, entre as equipes masculinas de Madre de Deus e Lençóis, e Simões Filho e Itaberaba. Logo depois, às 19h, acontece a cerimônia de abertura e desfile da Garota JAI.

A competição visa democratizar o acesso ao esporte em todos os municípios, bem como revelar talentos e gerar integração social. Com mais de cinco décadas de existência, o JAI 2014 será realizado em quatro zonais nas cidades de Itaberaba, Caetité, Jacobina e Juazeiro. Nessas zonais serão disputas as seguintes modalidades: basquetebol, futsal, handebol e voleibol.

Simões Filho também recebe os jogos, onde acontece a disputa das modalidades individuais (atletismo, boxe, judô, natação, tênis de mesa, volei de praia e xadrez), em etapa única dia 11 de outubro. A final está prevista para o período de 21 a 23 de novembro na cidade de Vitória da Conquista.

Segundo o coordenador de Apoio ao Esporte da Sudesb, Paulo César, o JAI viabiliza a promoção e valorização do esporte. "Essa é a competição mais importante da Bahia, pois é uma conexão dos esportes amadores nos municípios, além de ser uma eficiente ferramenta para a saúde, integração e cidadania", disse.


Garota JAI 2014

Além das competições esportivas, o concurso Garota JAI leva glamour para as quadras, envolvendo as mais belas atletas das equipes. Uma representante de cada município participante da zonal vai desfilar com uniforme esportivo da modalidade que praticam nos Jogos Abertos e com traje de banho.


Fonte: Ascom/Sudesb

terça-feira, 20 de maio de 2014

BASQUETE BONFINESE: HISTÓRIA E CONQUISTA INÉDITA

TIME TRI CAMPEÃO BAIANO SUB 19

Eu não poderia fazer essa matéria e falar da conquista do tri campeonato pela equipe sub 19 sem falar de como tudo começou e quem fez parte desta história vitoriosa.

Quando o basquete aqui chegou no inicio dos anos 30, e era praticado inicialmente no Colégio Maristas, ninguém imaginou que Senhor do Bonfim alcançaria tanta importância no cenário estadual e regional, a modalidade assim como as demais, começou a ganhar corpo com a inauguração em 1984 do Ginásio de Esportes Braga e o inicio das primeiras escolinhas ministradas com o apoio da SUDESB, se fortalecendo ainda mais com a fundação da Liga Bonfinense de Basquete em 10 de janeiro de 1996 e a criação de suas própria escolinha o que vem garantindo a renovação em quantidade e qualidade para o basquete.

O Ginásio de Esporte Paulo Braga que outrora fora tão importante para o surgimento e fortalecimento do esporte bonfinense principalmente do basquete que o considera sua casa, está abandonado, assim como outros espaços esportivos que se encontram em igual situação.

Os resultados alcançados hoje pelo basquete na cidade, se deve principalmente pelo trabalho e o sacrifício das pessoas, que deram lá atrás os primeiros passos, dentre os quais, Paulo Muricy, Dailton de Carvalho, Andreilto, José Aelton, Sandro Moura, Longuinho, Jorge Muricy , José Eugênio, Léo (Durinho),Tom Paulo, Victor Emanuel, Rivaldo Tavares, Patricia Correia, José Henrique, Beto (Formiga) , Rogério Costa, Itamar, Marina Perez, Marcão, Hylca, Ró, Jackson Santana, Jackson do Ouro, Gilsão, Zezinho e tantos outros. 

Alguns desses precisaram se afastar por motivos pessoais e familiares mesmo assim sempre aparecem para apoiar, outros se dedicam até hoje por acreditarem que podem fazer a diferença e dessa forma contribuir para engrandecer e divulgar o nome da cidade através do esporte, pois o objetivo do trabalho não é formar apenas atletas é formar também cidadãos, que veem no basquete uma oportunidade de praticarem um esporte dinâmico e prazeroso.

O sucesso da LBB nos dias atuais não é nenhuma surpresa, pois desde sua fundação sempre esteve entre as melhores equipes de basquete da Bahia, decidindo e conquistando títulos em campeonatos baianos, jogos Abertos, Super Copa Nordeste entre outros, desbancando cidades maiores e mais importantes no estado como Feira de Santana, Ilhéus e Vitória da Conquista e se tornando referência na modalidade, dando oportunidade a jovens atletas de Senhor do Bonfim e de vários outros municípios e estados do Brasil de aparecerem para o cenário nacional.

Quando o assunto é a participação, organização ou realização de eventos da modalidade Senhor do Bonfim sempre é a primeira cidade citada, foi assim com a realização do Campeonato Brasileiro sub 15 em 2009, dos quadrangulares finais do Campeonato Baiano em 2010, 2011 e 2012, com a Taça Governador do Estado sub 15 e sub 17 em 2012 e 2013 e da fase regional da Super copa Nordeste nos últimos cinco anos.

O resultado positivo da equipe sub 19 nessa temporada poderia ter sido também das equipes sub 22 e adulta, que precisaram sair precocemente da competição por falta de apoio e recursos financeiros, más a conquista do tri em cima do Vitória só serviu para ratificar a força do basquete bonfinense, que fincou ainda mais fundo suas raízes e mostrou por que é a modalidade mais vitoriosa do esporte de Senhor do Bonfim nos últimos anos, mesmo que muitos não queiram reconhecer isso, e independente de apoio do poder público, mostrou sua força e valor dentro e fora de quadra vencendo os dois confrontos na grande final, o primeiro em Salvador por 55 a 25, o segundo em casa por 53 a 32 e levantando o caneco e soltando o grito de... tri campeão!! mostrando que merece reconhecimento pelo trabalho realizado.

A equipe conquistou um título inédito para o esporte de Senhor do Bonfim com uma campanha quase perfeita, fazendo 15 jogos e perdendo apenas dois, e foi formada pelos atletas Johnne, João Guilherme, Maique, Victor,  Rogério, Adailton, Herinson, Neto, Lucas, Pedro, Tiago e  Nedson e teve no comando os competentes Técnicos Valney Souza e Paulo Muricy.

Diante das dificuldades enfrentadas principalmente nos jogos finais, foi importante e substancial o apoio de pessoas que acompanham e veem as dificuldades que a equipe enfrentou, pessoas como os ex atletas José Vladimir (Dono do Motel Lovy Story) e Gilsão de Juazeiro, os empresários Nando Pellegrine, Aparício Pellegrine e Dr Marcos da Clínica Popular, o Ex Superintendente da SUDESB "Bobô", o Ex. Vereador Gustavo Miranda, o Prefeito de Jaguarari Antonio Nascimento, a Vereadora Lúcia Cerqueira, Gilmar do SAMU, toda a diretoria da LBB, os programas das rádios AM e FM e blogs que ajudaram na divulgação e todos os que de forma direta ou indireta contribuíram para o sucesso do basquete de Senhor do Bonfim nesta temporada, sem esquecer principalmente da torcida que compareceu em grande número nos jogos em casa e apoiaram o tempo todo.

Parabéns a todos pelas conquistas, que venham muitas mais!!

Por: Alberto Longuinho

sexta-feira, 21 de março de 2014

CAMPEONATO BAIANO DE BASQUETE 2014 TERÁ NOVA FÓRMULA DE DISPUTA


Buscando dinamizar e dar oportunidade a mais equipes participarem da competição, a FBB Federação Baiana de Basquete apresenta a nova fórmula de disputa da competição em 2014, que tem por finalidade desenvolver a modalidade e democratizar a participação, principalmente de equipes do interior, que devido ao tamanho do estado da Bahia e as distâncias, impossibilita a participação das mesmas no certame.

Fórmula de disputa: (informações obtidas no regulamento da competição)

1. O campeonato será dividido em 03 (três) chaves A , B e C,conforme abaixo;

2. Chave A (Metropolitana) com 08(oito) equipes da capital e Recôncavo,no sistema de todos contra todos em 2 (dois) turnos,classificando-se os dois primeiros colocados para o circuito final.

Período de 19 de Julho a 07 de Dezembro

3. Chave B (Centro Norte) com 4 equipes , jogando todos contra todos, com realização de um circuito em cada cidade , totalizando quatro circuitos com um total de 24 jogos realizados,classificando-se a equipe que conquistar o maior numero de pontos ganhos no final. Segue abaixo local e datas :

1º Circuito: Na Cidade de Juazeiro no período de 15 a 17 de Agosto

2º Circuito: Na Cidade de Jacobina no período de 12 a 14 de Setembro

3º Circuito: Na Cidade Senhor do Bonfim no período de 17 a 19 de Outubro

4º Circuito: Na Cidade de Baixa Grande no período de 28 a 30 de Novembro

4. Chave C (Sul) com 4 equipes , jogando todos contra todos, com realização de um circuito em cada cidade , totalizando quatro circuitos com um total de 24 jogos realizados,classificando-se a equipe que conquistar o maior numero de pontos ganhos no final.Segue abaixo local e datas:

1º Circuito: Na Cidade de Guaratinga no período de 29 a 31 de Agosto

2º Circuito: Na Cidade de Ilhéus no período de 26 a 28 de Setembro

3º Circuito: Na Cidade de Teixeira de Freitas período de 24 a 26 de Outubro

4º Circuito: Na Cidade de Eunapolis no período de 28 a 30 de Novembro

5. Circuito Final: A definir entre as cidades de Senhor do Bonfim e Juazeiro com os dois primeiros da chave A e,os primeiros das chaves B e C.

Período de 12 a 14 de Dezembro


INICIO DO CAMPEONATO: 19 DE JULHO DE 2014.

FINAL DO CAMPEONATO: 14 DE DEZEMBRO DE 2014

BAHIA SEDIA 1ª CLÍNICA DE ARBITRAGEM DO NORDESTE


  
 

O evento será ministrado pelo coordenador geral de arbitragem da CBB, Marcelo Gomes de Ávila, pelo supervisor de arbitragem, José Augusto Piovesan Neto Salvador, BA – O SESC e a Confederação Brasileira de Basketball (CBB), através do seu Departamento de Arbitragem, com apoio da Federação Bahiana de Basketball (FBB), irão realizar a partir do dia 28 deste mês a 1ª Clínica de Arbitragem dos estados do Nordeste. O evento será ministrado pelo coordenador geral de arbitragem da CBB, Marcelo Gomes de Ávila, pelo supervisor de arbitragem, José Augusto Piovesan Neto, e mais um palestrante convidado. A Clínica será realizada durante três dias no SESC Piatã em Salvador, na Bahia.

O objetivo da Clínica é a atualização do quadro de arbitragem, aplicação de prova para a categoria nacional, além da revalidação, avaliação e atualização dos coordenadores de arbitragem dos Campeonatos Brasileiros de base. A Clínica é voltada para os árbitros, oficiais de mesa, técnicos, professores e alunos de educação física.

“O objetivo de evento é uma atualização do árbitros e prova para categoria nacional. Apesar de ser um evento dos estados do Nordeste, contaremos com a participação de oficiais vindos do Paraná, Rio Grande do Sul e Acre. Já estamos com mais de 40 inscritos e esperamos aumentar esse número até a data do evento, com a participação de muitos profissionais e estudantes. Esse acontecimento é muito importante para a Bahia e para a modalidade”, comentou o presidente da Federação, Roberto Fernandes, o Betinho.

O coordenador geral de arbitragem da Confederação, Marcelo Gomes de Ávila, fará a abertura da Clínica com a palestra "A importância para a CBB de formar árbitros e coordenadores".

“Como é nossa primeira clínica, o objetivo da palestra é capacitar ainda mais os nossos profissionais para os Campeonatos Brasileiros de Base realizados pela CBB. A ideia principal é que eles se especializem e compartilhem dos padrões de estudo apresentados, além de receberem o material didático oferecido pela clínica. Falaremos também sobre as novas regra da FIBA, que serão aplicadas a partir de outubro de 2014. Queremos multiplicar ainda mais a arbitragem em nosso país”, explicou Ávila. “Junto com essa especialização teremos também a prova de nível nacional, que capacitará mais árbitros para exercer dentro da modalidade”, completou.

O SESC Piatã oferecerá hospedagem e alimentação para os 40 primeiros inscritos. Será exigida a apresentação de atestado médico que comprove aptidão para exercer as atividades físicas. Os participantes receberão material didático elaborado pelo Departamento de Arbitragem da CBB. Para participar do evento é necessário que os candidatos façam suas inscrições nas federações locais.

Programação

- Sexta-feira (28 de março)

09h00/12h00 - Credenciamento
19h00/19h15 - Palestra de Abertura (CBB/FBB/SESC)
20h20/20h50 - "A importância para CBB de formar árbitros e coordenadores" (Marcelo Ávila)
20h50/21h30 - "Gerenciar o jogo adequadamente: O trabalho em equipe é a chave" (José Piovesan)

- Sábado (29 de março)

09h00/10h00 - "Regras FIBA 2013/Outubro de 2014" (Marcelo Ávila)
10h15/11h00 - "Relação árbitro e treinadores" (José Piovesan)
11h00/12h00 - "Oficiais de mesa e trabalho em equipe" (coordenadores)
15h00/15h45 - "Jogos CBB: prática/ instrução coordenadores (coordenadores)
16h00/17h00 - "Jogos CBB: prática/ instrução coordenadores (coordenadores)
17h00/17h20 - Jogos no ginásio

- Domingo (30 de março)

09h00/11h00 - Prova teórica para árbitros nacionais e coordenadores
13h00/14h00 - "Regras e vídeos: técnicas FIBA/ FIBA Américas" (Marcelo Ávila)
14h00/16h30 - Apresentação dos coordenadores
17h00/18h00 - Considerações finais (coordenadores)
18h00/19h00 - Encerramento oficial (CBB/FBB/SESC)

Fonte: CBB

quarta-feira, 19 de março de 2014

ABERTAS ATÉ 30 DE ABRIL AS INSCRIÇÕES PARA O PROGRAMA ATLETA NA ESCOLA

(Foto: Divulgação/ME)

Encontram-se abertas de 24 de fevereiro até 30 de abril as inscrições para a adesão das escolas ao programa Atleta na Escola - parceria entre Ministério do Esporte e o Ministério da Educação (MEC) - que este ano deve chegar a 40 mil escolas brasileiras. As instituições públicas e privadas interessadas em participar do programa devem informar as modalidades esportivas que serão desenvolvidas e o número de estudantes contemplados. A adesão é feita no Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE interativo).

O coordenador do Atleta na Escola, Renausto Amanajas, da diretoria de formação e conteúdos educacionais da Secretaria de Educação Básica do MEC, explica que cada escola participante receberá uma verba fixa de R$1 mil e mais R$ 3,00 por aluno inscrito. O objetivo é levar o programa aos 5.564 municípios, que tenham registrado, no censo escolar de 2013, alunos de 12 a 17 anos de idade, independentemente da série que cursam. Renausto sugere que os diretores façam a adesão logo nos primeiros dias, para que tenham tempo de organizar os campeonatos escolares e, posteriormente, participar das etapas, municipal e regional.

Segundo o coordenador, os diretores das unidades precisam verificar se o estado e o município a que pertencem aderiram, pois essa é uma condição para que a escola participe do programa. A adesão das secretarias estaduais e municipais de educação está aberta desde janeiro e os dados devem ser inseridos por elas no Plano de Ações Articuladas (PAR).

“Este ano a ideia é envolver o maior número possível de escolas e consequentemente de atletas escolares, e buscar a sincronicidade entre o calendário das fases escolar, municipal/regional, estadual e nacional dos Jogos Escolares, pois dessa forma, além de envolver grande número de participantes haverá a possibilidade de os melhores atletas participarem das fases posteriores, ampliando a base e dando a oportunidade para os melhores atletas escolares aparecerem na fase nacional”, afirmou André Arantes, diretor de Esporte de Base e Alto Rendimento, do Ministério do Esporte.

“Tenho certeza que essa ação de fortalecimento do esporte paraolímpico nas competições escolares vai gerar frutos e ampliar o número de participantes no paradesporto, além de ajudar a promover talentos esportivos nesse segmento”, afirmou Arantes.

A grande novidade do programa no momento é a inclusão do esporte paraolímpico, ou seja, a entrada das modalidades de atletismo, bocha, golbol, judô, natação, tênis de mesa em cadeira de rodas, voleibol sentado para os gêneros, masculino e feminino. As modalidades de futebol de 5 (DV), e futebol de 7 (PC), também entraram exclusivamente para o gênero masculino. Todas essas modalidades esportivas fazem parte da Paraolimpíada Escolar. Na categoria olímpica, a modalidade de atletismo foi ampliada com a entrada no programa do arremesso de peso, voleibol e judô, além das que fizeram parte do programa em 2013.

Trajetória – Lançado em maio de 2013, o Atleta na Escola teve a adesão, no ano passado, das secretarias de educação dos 26 estados e do Distrito Federal, de 4.554 municípios e de 22,9 mil escolas. O Ministério da Educação estima que 2 milhões de estudantes da educação básica participaram da fase escolar. Dados do censo escolar de 2013 mostram que o país tem 194.577 escolas, entre públicas e privadas, das quais 147.307 unidades registraram estudantes na faixa de 12 a 17 anos de idade, que constitui o público do programa.  
 

Fonte: Ministério do Esporte

segunda-feira, 17 de março de 2014

BASQUETE BONFINENSE EM MAIS UMA FINAL

 
A equipe sub 19 de basquete de Senhor do Bonfim mesmo sem contar com apoio do município, se classificou este final de semana para a final do Campeonato baiano da categoria ao vencer em casa os dois jogos da série melhor de três contra o CEPE de Salvador.

A LBB foi surpreendida no primeiro jogo na capital baiana e perdeu o jogo por 32 a 35, com a derrota o time tinha a obrigação de vencer os dois jogos em casa para chegar a mais uma final e não deu outra, no sábado venceu a partida por 73 a 32 e no domingo por 64 a 47.

O basquete bonfinense mostrou por que é o melhor da Bahia chegando a mais uma final, o adversário da LBB será o Esporte Clube Vitória editando a última final entre as duas equipes onde Bonfim levou a melhor e espera repetir o feito novamente.

A final também será em melhor de três jogos com o primeiro jogo a ser realizado em Salvador e a decisão em Senhor do Bonfim.

terça-feira, 11 de março de 2014

OS TRÊS CAMINHOS DA INICIAÇÃO ESPORTIVA INFANTIL




O foco deste texto é as crianças no esporte, ou seja, a iniciação delas nesse contexto, seja este a escola, o projeto social ou a escolinha de esportes. A iniciação esportiva (IE) contém em si características importantes para o desenrolar da vida infantil no mundo esportivo e para compreender esse momento considera-se importante conhecer sua conceituação e abrangência do termo iniciação esportiva.

Na literatura autores como Blázquez Sánchez, (1999); Moreno et al, (2000); Contreras, La Torre e Velazquez, (2001) descrevem-no de maneira bastante diversa, dividindo-o em definições que consideram a IE como um o processo, outras como um produto e as mais amplas como ambas, ou seja, produto e processo.

Moreno et al (2000) definem iniciação esportiva como um processo de ensino- aprendizagem para a aquisição da capacidade de execução prática e conhecimento de um esporte, considerando este conhecimento o contato com o esporte até a capacidade de praticá-lo com adequação à sua estrutura funcional.

Blázquez Sánchez (apud MORENO et al, 2000) retira o foco da definição de IE do início da prática esportiva, ampliando para o início de uma ação pedagógica que...

LIXO PURO


Não se trata de investir na realização de um ótimo futebol, mas de convencer o grande público de que o que ele assiste é um ótimo futebol. Por pior que seja o futebol assistido, ao público, convencido por maciça propaganda, parecerá maravilhoso.

Dirigido por empresários e dirigentes inescrupulosos e técnicos medíocres, os jogadores atuais não sabem fazer gols; apenas evitam tomar gols, o que qualquer cabeça de bagre consegue, uma vez que na equipe adversária não há quem possua habilidade para fazê-los. Técnicos temem perder os empregos e julgam que a melhor estratégia para mantê-los é não perder partidas, antes que ganhá-las. Empresários e dirigentes querem lucro fácil e apostam na deseducação do público.

De resto, o fenômeno que se verifica no futebol não é exclusivo dele. Também não se trata de produzir boas bebidas ou músicas, mas apenas de convencer o público de que são boas, por mais intragáveis que sejam. Dos chutões dos cabeças de bagre a pseudo obras de arte, é bem mais lucrativo vender mediocridades como se fossem peças de ouro que gastar tempo e dinheiro para refinar o gosto. 
 
Recentemente, vi uma reportagem de num famosíssimo museu da Europa, onde, num requintado salão branco, um pequeno amontoado de entulho de construção venerado como a fina flor da arte. 
 
Lixo puro!

SEMIFINAL DO CAMPEONATO BAIANO DE BASQUETE SUB 19





Neste sábado 15/03 as 19:00 no Núcleo de Esportes, acontece o segundo jogo da semifinal do Campeonato Baiano de Basquete sub 19, a LBB enfrenta o CEPE (Salvador) em busca da vitória.

No primeiro jogo em Salvador a equipe bonfinense entrou em quadra como favorita, más foi surpreendida pela equipe da capital pelo placar de 35 a 32, agora para chegar a final é necessário vencer no sábado para forçar o terceiro jogo no domingo 16/03 as 11:00 também no Núcleo de Esportes.

E importante informar que o time Sub 19 de Bonfim é o atual campeão baiano e busca chegar a final em busca do bi campeonato da categoria a derrota em Salvador não estava nos planos, já que na fase classificatória a LBB não encontrou dificuldades para vencer esta mesma equipe.

" No jogo em Salvador o excesso de confiança e os erros individuais fizeram com que saíssemos derrotados, isso fez com que a atitude dos jogadores mudasse para este confronto, treinamos muito nos últimos dias e com certeza essa desvantagem será revertida em casa com o apoio de nossa torcida." Falou o Técnico Valney Souza.

sábado, 8 de março de 2014

INICIATIVA USA METODOLOGIA DE ENSINO QUE INTEGRA ESPORTE E INCLUSÃO SOCIAL


Crianças participantes do projeto Caravana do Esporte, Dourados-MS (Foto: Divulgação/ IEE)

O Instituto Esporte & Educação (IEE) foi criado em 2001 pela ex-atleta e medalhista olímpica Ana Moser. A instituição é uma organização civil de interesse público e tem como objetivo aplicar uma metodologia de esporte educacional em periferias do Brasil. Além da instituição atingir crianças e jovens, com atividades esportivas e socioeducativas, existe uma preocupação com a formação e apoio aos professores envolvidos. E para colocar esse método educacional em prática, o IEE implementa e coordena uma série de núcleos em parceria com empresas privadas, pública e sociais.

saiba mais:
Jovens aprendem a encarar as ondas do mar e as dificuldades do dia a dia
Por meio do esporte, ONGs de todo o país promovem inclusão social
Projeto Esperança Futebol Clube oferece lazer aos jovens de Cambury
Assista à íntegra do Ação sobre projetos sociais que envolvem surf e futebol

De acordo com a presidente do instituto, Ana Moser, o projeto tem a intenção de desenvolver uma metodologia de ensinar esportes para todas as crianças e jovens do país. “Reuni um pequeno grupo de professores de educação física e buscamos teorias científicas para termos as bases para essa nova maneira de ensino e aprendizagem do esporte”, afirma Moser. A metodologia proposta pelo IEE define o esporte educacional a partir de 5 princípios: inclusão de todos, diversidade, construção coletiva, educação integral e autonomia.

“Rapidamente percebemos que a metodologia envolvia muitas meninas e meninos praticando esportes diferentes, não só futebol. Os mais habilidosos ajudando os menos habilidosos a jogar junto”, conta a presidente. Mas além da prática esportiva, sentiu-se a necessidade de abordar outros temas. Desta maneira, cultura, cidadania, protagonismo juvenil e ação comunitária foram incluídos nas atividades planejadas. “Os alunos praticam esporte e participam de debates, projetos, pesquisas e uma infinidade de atividades que acontecem de maneira integrada”, afirma.

 
Ana Moser, ex-atleta e Presidente do IEE
(Foto: Divulgação/ IEE)

E para que a metodologia esporte educacional dê certo, os professores são capacitados a planejar e explorar as habilidades e capacidades motoras, além das relações interpessoais e cognitivas inerentes destas atividades. Desde 2004, o IEE desenvolveu estratégias para capacitar e formar profissionais de educação física, das redes de escolas públicas, a disseminar a metodologia do projeto por todo o Brasil.

O Instituto Esporte & Educação já capacitou mais de 20 mil professores e gestores de educação e esporte, beneficiando próximo a 3 milhões de alunos de escolas públicas. Os três principais projetos de formação de professores são a Caravana do Esporte, Rede de Parceiros de esporte educacional e Formação de Professores das Redes Municipais.

“Atualmente o IEE possui cerca de 100 professores aplicando diariamente esta metodologia com mais de 10 mil alunos dos 30 núcleos esportivos, que funcionam em escolas e centros comunitários”, informa Ana Moser. Para o futuro, a ex-atleta acredita que a metodologia do IEE deve ser implementada em todas as escolas públicas do Brasil. “É preciso estar presencialmente para conseguir mudar o paradigma da educação física e esporte desses lugares. Já estivemos em muitos lugares, mas ainda falta muito a transformar”, ressalta.

 
Crianças e jovens da Oficina de Surf em Maresias
(Foto: Divulgação/ NESE Maresias)

Metodologia que dá certo

O Instituto Esporte & Educação apoia o núcleo Esportivo Sócio Educativo (NESE), realizado na praia de Maresias, município de São Sebastião. Projeto que oferece futebol, vôlei e surf na escola. Para administrar as aulas de surf, as crianças e jovens da região contam com o professor de Educação Física, Rafael Dias de Carvalho, que devido a um convite de Ana Moser uniu o gosto de ensinar com a paixão pelo esporte.

Segundo Carvalho o projeto é uma oportunidade para todas as crianças e jovens ocuparem o tempo livre com uma prática esportiva. Ele ainda completa que a metodologia esporte educacional é a melhor para ensinar. “Quando trabalhamos em nossas aulas com esse método estamos ensinando o esporte como meio para outros fins. A criança e o jovem está jogando para aprender e assim acredito que estamos contribuindo para formação de muitos”, explica o professor de surf.

Ainda de acordo com o instrutor, os alunos vão se acostumando com o modo de ensino e muitos que estão desde o início do projeto sabem que as aulas são mais do que aprender um esporte.

FONTE: Rede Globo/Ação Cidadania
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...